Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

INFRAÇÃO

Carro apreendido em carreata em Belém tem IPVA atrasado e acumula mais de R$22 mil em multas

domingo, 29/03/2020, 15:14 - Atualizado em 29/03/2020, 18:21 - Autor: Diário Online


|

Após deter os manifestantes que se organizaram para realizar uma carreata em Belém, a Polícia Militar, juntamente com a Polícia Civil e o Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran) detectaram que o veículo que organizava o ato está com o licenciamento vencido desde o ano de 2015 e com um acúmulo de multas que ultrapassam R$ 22 mil.

Manifestantes desobedecem decreto de segurança sanitária e são presos; assista!

Organizadores de carreata contrariam decreto estadual e são indiciados

Segundo o Governo do Estado, o valor será revertido em ações de combate ao Novo Coronavírus no Pará, representando a aquisição de cerca de 600 caixas com 50 luvas e 300 caixas com 10 máscaras, que serão distribuídas aos locais mais necessitados.


 

De acordo com o Detran, 18 veículos foram autuados durante a Operação Patrulha, realizada na manhã deste domingo. Dezesseis deles foram enquadrados no artigo 174 do Código de Trânsito por participar na via como condutor em evento organizado sem permissão. Além disso, um condutor foi autuado por estar com a carteira de habilitação vencida, e outro por transitar com o veículo em mau estado de conservação. uma motocicleta, que estava sema placa, também foi apreendida pelos agentes do órgão.  

De acordo com Marcelo Guedes, diretor geral do Detran, o veículo só será liberado quando todas as dívidas forem pagas.

“Esse carro só sairá do parque de retenção se o proprietário pagar esse valor. Foi acordado também que o valor dessas multas será revertido, integralmente, para as ações de combate ao novo coronavírus”, explicou Marcelo Guedes.

Helder proíbe qualquer tipo de manifestação contra o isolamento domiciliar em Belém

Segundo a Polícia Civil, 11 pessoas foram detidas na ação. Elas foram autuadas e encaminhadas para a Delegacia da Cremação, onde foi montada uma força-tarefa com policiais civis, investigadores e oito componentes da Coordenadoria de Recursos e Operações Especiais (CORE).

“As pessoas foram detidas por desobediência ao decreto e por infringir a norma sanitária. Por ser um crime de baixa periculosidade, são liberadas após assinatura de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), onde se comprometem a não mais cometer a mesma infração. Caso não assinem, serão presos imediatamente. Para os que forem identificados como líderes, que incitaram o movimento, e portanto são mais responsáveis do que aqueles que apenas entraram no 'oba-oba', podem ser enquadrados no crime de organização criminosa”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS